Se o preço da goiaba subir, a bolsa vai…

9:17 am Biologia, Economia, Teoria dos Jogos

Esse é um post sobre um interessante artigo que saiu na Science mês passado.

O jogo do ultimato, foi criado por estudiosos de economia e de teoria dos jogos. Nesse jogo, uma banca oferece uma quantia fixa de dinheiro a dois jogadores. O primeiro jogador recebe todo o dinheiro e faz uma proposta de divisão do dinheiro para o segundo jogador, oferecendo uma parcela do dinheiro. O segundo jogador tem a chance de avaliar a proposta. Se achá-la boa pode aceitá-la e o dinheiro é dividido como proposto pelo primeiro jogador. Mas se o segundo jogador achar a proposta muito baixa, pode recusá-la. Se isso ocorrer, então nenhum dos dois leva nada.

A ação mais racional nesse jogo seria a de aceitar sempre a proposta do primeiro jogador, não importando qual ela fosse. Porém, na prática, seres humanos tendem a querer punir os jogadores que oferecem propostas injustas, rejeitando-as.

A serotonina (5H-T) é um neurotransmissor conhecido por regular o humor. Ela é alvo de vários anti-depressivos que ajem inibindo sua recaptação nas sinapses (o PROZAC é um deles). O efeito dessas drogas é o de manter a serotonina ligada por mais tempo em seus receptores, compensando uma teórica diminuição de seus níveis no cérebro (principalmente em casos de depressão).

Um dos precursores da serotonina no organismo é o aminoácido triptofano. Se houver uma falta aguda de triptofano no organismo, então a via metabolica de produção de serotonina é desligada.

O artigo que citei no ínicio do post, trata de um estudo onde pessoas passaram por uma depleção aguda de triptofano em suas dietas e então foram submetidas ao jogo do Ultimato. Os resultados foram comparados com o de pessoas com dietas com níveis normais de triptofano E o resultado foi então meio surpreendente: essas pessoas passaram a rejeitar com maior frequência propostas menos justas do que pessoas com dietas normais. Estariam então o humor e o senso de fair-play ligados? ;-)

Mas o que eu mais gostei foi como uma manipulação da bioquímica do cérebro humano pôde alterar o comportamento e influenciar diretamente na tomada de decisões de pessoas.

E o que o título do post a ver com tudo isso? Bom, na verdade o título é uma situação hipotética (e meio exagerada) que eu imaginei: é sabido que a goiaba é uma fruta que possui níveis altos de triptofano. Imaginem agora se o preço da goiaba sobe muito e pessoas que compram e vendem ações na bolsa de valores param de comer goiaba. A bolsa vai cair? Subir? A resposta eu deixo para os especuladores :-)